domingo, 14 de dezembro de 2008

NOEL ROSA DE OLIVEIRA

Uma voz que faz falta na avenida: a do velho compositor e puxador salgueirense Noel Rosa de Oliveira, dono de um dos mais belos timbres vocais do samba em todos os tempos e co-autor de obras antológicas.

O negrinho Noel veio ao mundo no Morro do Salgueiro, em 15 de julho de 1920 – menos de dez anos depois, portanto, de seu homônimo de Vila Isabel, nascido em dezembro de 1910. Os nomes idênticos são apenas coincidência, pois quando o salgueirense chegou ao mundo, o Poeta da Vila ainda nem sonhava em compor os sambas que o eternizaram.

Noel Rosa de Oliveira, aos 13 anos, tocava vários instrumentos de percussão e freqüentava as rodas de partido-alto em frente à venda de seu pai e era o mascote da turma. No mesmo ano, ingressou na Unidos do Salgueiro, onde, de 1939 a 1954, foi compositor e diretor de harmonia. A escola foi uma das três agremiações que viriam, anos mais tarde, a formar a Acadêmicos do Salgueiro. Em 1960, Noel Rosa de Oliveira leva para a avenida o belíssimo samba enredo “Quilombo dos Palmares”, em parceria com Anescarzinho e Walter Moreira. Três anos depois, novamente com Anescarzinho, faz delirar o mundo do samba com a vida da sensual escrava “Chica da Silva”. Em 1964, emplaca no terreiro nas rádios (na voz do cantor Noite Ilustrada) a história do menino negro e pobre que “gostou da filha da madame” (O neguinho e a senhorita), sucesso que Elza Soares e Neguinho da Beija-Flor regravaram posteriormente. No ano seguinte, Jair Rodrigues emplacou enorme sucesso com “Vem chegando a madrugada”.

Noel Rosa de Oliveira participou ainda, no final da década de 60, do grupo A Voz do Samba. Nos anos 70, ingressou no conjunto Os Partideiros do Plá. Noel é considerado um dos mais férteis melodistas do Salgueiro. Foi puxador de samba na época em que o cantor era acompanhado das pastoras da escola e não havia poderosos carros de som, gravação de discos oficiais, marchas disfarçadas de sambas enredo, baterias aceleradas e nem disputa por intérpretes a peso de ouro.

Durante quase duas décadas foi a voz oficial do Salgueiro, dividindo o posto com outros baluartes do samba, como os compositores Djalma Sabiá e Zuzuca ou os cantores Jorge Goulart, Sônia Santos e Joel Teixeira. Em 1977, Noel Rosa de Oliveira encerrou sua trajetória como puxador, passando o bastão e o microfone para o então iniciante Rico Medeiros. O coração deste maravilhoso compositor parou de bater em 19 de março de 1988, um mês depois de ter desfilado pela sua vermelho e branca com o tema “Em busca do ouro”. Disponibilizamos aqui um grande samba do Mestre! "RI MELHOR É QUEM RI NO FIM", em parceria com José Ernesto Oliveira e Raimundo Ferreira Lima.

3 comentários:

PSTM disse...

Boa Fernandinho!!!
Estamos juntos camarada... conte conosco em que precisar e tenho que dizer que já começou bem hein:
Salve Noel Rosa de Oliveira!!

Edinho

Projeto Resgate disse...

ae Edinho, valeu meu camarada, agora estamos juntos na batalha, mais do que nunca...

Grande abraço!!

handmade jewelry disse...

where you come from!